terça-feira, 3 de abril de 2012

Sinte não aceita proposta e impasse continua


A presidente do Sinte-PI, Odeni de Jesus, afirmou agora há pouco durante sua fala na audiência que aconteceu na Assembleia Legislativa que a greve na educação estadual vai continuar. 
"Se o governo não apresentar outra proposta não tem acordo e a greve vai continuar o tempo que for preciso". Ela acrescentou também que se o governo não abonar as faltas correspondentes ao período da greve e forem feitos descontos nos contracheques dos professores não haverá reposição das aulas, segundo ela foi feito um acordo de que após retornarem para a sala de aula o período parado seria reposto.
O secretário estadual de educação, Átila Lira, falou da proposta que o governo encaminhou hoje a Assembleia Legislativa.
Segundo ele, na proposta professores com magistério, incluídos nas classes A e B, receberão reajuste de 22%, retroativo a janeiro de 2012, passando a receber o novo piso nacional do Magistério (R$ 1.451,00), aumento este que para a classe inicial abrange 10 mil professores. Os profissionais da classe SL1 até o final da carreira receberão aumento, de acordo com a inflação, no mês de maio (data base da categoria).
Esteve presente na audiência a Secretária Geral da Confederação Nacional dos trabalhadores em Educação Marta Vaneli. Ela afirma que de acordo com a lei do piso o estado que não pode pagar o que é determinado e assim comprovar tem como pedir ajuda ao Governo Federal. "Se o estado não tem como pagar esse piso é porque tem aí uma mágestão dos recursos públicos da educação, não falo pelo Piauí, falo pelo que vejo no Brasil todo. Não justifica", declarou Marta.
Não houve nenhum acordo na audiência que a todo momento se apresentou tensa, o presidente da Assembleia a todo momento pedia a cooperação dos professores presentes para que deixassem falar quem ocupava a tribuna. Assim, a audiência de hoje a tarde não trouxe novidades para por fim a greve que completou hoje 35 dias. Foi acordado apenas que será formada uma comissão de cinco representantes do Sinte para nesta quarta-feira (4) se reunir com o Secretário Átila para discutir a nova proposta encaminhada na tarde de hoje para a Assembleia e para o sindicato.
O governador Wilson Martins reuniu hoje os deputados que lhe dão sustentação na Assembleia para que apressem a aprovação da proposta. 
“Essa proposta pode não ser a ideal, mas é uma proposta digna, justa e responsável”, disse o governador Wilson Martins, ressaltando que a mensagem propõe reajustes que atendem às reivindicações dos professores e respeitam o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (que determina em 46,55% da Receita Corrente Líquida o valor máximo que os estados podem gastar com folha de pagamento).
FONTE: ACESSEPIAUÍ

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito gozado esse Governador, não pode CUMPRIR uma LEI Federal e exige que os professores cumpram com uma Pseudalei que ele está mandando para a Assembléia. Ora Senhores, nenhuma Lei Municipal ou Estadual se sobrpõem a uma Lei Federal, portanto Sr. Governador, alaém de inimigo da Educação é também inimigo da Justiça. Vamos entrar com mandados de segurança pedindo a intervenção do estado por não cumprimento da lei.