terça-feira, 10 de julho de 2018

Escola da Fé, estímulo aos cristãos católicos

A Paróquia de São José, de Altos-PI, realizou na último sábado, dia 7 de julho, no Salão Paroquial, a primeira aula da Escola da Fé “São José”, um curso de extensão com certificação pelo ICESPI – Instituto Católico de Estudos Superiores do Piauí, que tem como objetivo: Oferecer à comunidade eclesial um aprofundamento pessoal e comunitário da experiência de Jesus, aprofundar a espiritualidade missionária, transmitir a Doutrina de Fé da Igreja, oferecer respostas às questões de fé com um aprofundamento bíblico e formar agentes de pastoral mais capacitados na execução de suas tarefas eclesiais.
O curso teve início com a aula inaugural no dia 4 de julho de 2018, contando com a participação de Dom Francisco (Bispo de Campo Maior) e do Padre Jonilson (Diretor Espiritual do ICESPI. A Escola da Fé possui cerca de 40 alunos das paróquias de Altos, Alto Longá, Beneditinos e Capitão de Campos. As aulas serão ministradas em sábados alternados, das 18 às 22h, perfazendo um total de 5ha a cada encontro, com previsão de término para abril de 2021, tendo a carga horária de 330 horas/aula.
Segundo o pároco da Igreja de São José, Padre Claudinei Pereira, a Escola da Fé “São José” irá oferecer um fortalecimento cientifico (Teológico, bíblico e pastoral) e também irá ajudar na caminhada espiritual dos nossos agentes de pastoral: “Como pastores, sabemos a missão de formar nosso povo para que possamos ainda mais zelar um tesouro que a Igreja guarda em seu coração: o conhecimento. Muito já foi feito em nossa comunidade, vamos agora dar um passo significativo na formação do nosso povo.”

O curso será ministrado em três módulos:
Módulo I – Ciclo bíblico (Introdução à Teologia, Pentateuco, Livros Históricos, Livros Proféticos, Sapienciais, Sinóticos e Atos, Literatura Joanina, Cartas Paulinas) -  nove disciplinas; 135ha
Módulo II – Ciclo (Cristologia, Escatologia, Antropologia Teológica, Mariologia, Liturgia e Sacramentos) - seis disciplinas; 80ha
Módulo III – Ciclo pastoral (Direito Canônico, Pastoral, Catequese de Iniciação a Vida Cristã, Missiologia, Doutrina Social da Igreja, Moral Cristã e Comunicação – oito disciplinas; 115ha

Informações e fotos: PASCOM/Diocese de Campo Maior

segunda-feira, 2 de julho de 2018

IPTU PREMIADO

PARTICIPE

Câmara de Vereadores sediará Capacitação em turismo


Na próxima quarta-feira (04/07) a Câmara de Vereadores de Campo Maior sedia curso de capacitação para profissionais ou pessoas que desejem conhecer melhor a área de turismo. 



O evento é uma parceria da Câmara de Campo Maior e a Secretaria de Estado da Cultura, tendo como objetivo, através de palestras e oficinas, motivar a maior participação de empresários, professores, órgãos públicos e estudantes na discussão do potencial turístico de Campo Maior.

A ausência de políticas públicas intensivas para o desenvolvimento turístico, mesmo com a criação da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, ainda é muito acanhada, percebendo-se,aí, uma perda de recursos.

A entrada é gratuita e aberta aos que queiram participar.

domingo, 1 de julho de 2018

REGINA SOUSA PASSA PITO NO MINISTRO DO TURISMO

Senadora Regina Sousa
Foto: CDH/Ass. Comunicação

A senadora Regina Sousa (PT-PI) criticou as declarações do Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, que minimizou o assédio de brasileiros a jovens russas durante a Copa do Mundo da Rússia. Em pronunciamentos na Comissão de Direitos Humanos (CDH) e na tribuna do Senado, a parlamentar disse que o ministro perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado quando disse que não era necessária tamanha polêmica porque “não morreu ninguém” e porque o episódio envolvia apenas cinco brasileiros, que estavam "passando vergonha".
“Nós não estamos preocupados com as cinco pessoas não, ministro! Essas cinco pessoas não estão passando vergonha não. Porque eles não têm vergonha, eles são sem-vergonha”, insistiu a parlamentar.

Ela lembrou que o desrespeito atingiu 52% da população brasileira – parcela feminina da população - que se sente ofendida pelas grosserias. E enfatizou que violência não é apenas uma questão física. “A violência verbal às vezes dói mais na alma da gente do que a violência física”, ensinou.

“O senhor está na Rússia para promover o turismo brasileiro, e diz isso? Está convidando os russos e outros turistas estrangeiros a assediar mulheres? “, questionou, dirigindo-se diretamente a Lummertz. Para Regina, o ministro deveria pedir desculpas às mulheres brasileiras, pois foi extremamente machista. “Em qualquer outro governo, um ministro que dissesse isso amanheceria demitido. Mas ele está na Rússia divulgando o Brasil”, estranhou.

Regina Sousa explicou ao titular da Pasta do Turismo que feminicídio é um drama no Brasil. E que começa exatamente com assédio, xingamento e deboche. "E depois, evolui para empurrão, uma queda da escada, um escorregão no banheiro até que chega à morte", prosseguiu.

Defensora dos direitos das mulheres, a parlamentar piauiense disse que fica constrangida com o comportamento sexista do ministro. “Como a gente vai trabalhar, como a gente vai combater a violência, como a gente vai ter condição de continuar fazendo a defesa da mulher, o combate à violência, se os estímulos que a gente recebe da autoridade são esses?”, perguntou.

domingo, 27 de maio de 2018

Aluna é obrigada a pedir desculpas a prefeito após reclamar da merenda escolar


A cada dia surge a necessidade do enfrentamento às ideias que não se deve discutir política em sala de aula. Exemplos de enfurecimento contra estudantes que reclamam de certas condições das centenas de escolas públicas, escondidas nesses rincões piauienses, onda ainda prevalece a "lei da mordaça",  demonstram a responsabilidade do educador em estimular a cidadania política dos estudantes, independentemente da rede de ensino ou da série em que ele estuda.

Um estudante piauiense fez um vídeo para o projeto O Brasil Que Eu Quero, da Rede Globo, denunciando a qualidade da merenda escolar servida na escola municipal onde estuda em Uruçuí. Identificando-se apenas como Maria Clara e como moradora do bairro Fogoso, ela diz que o Brasil que quer é um em que “o lanche da escola deixe der pão seco com suco e passe a ser cachorro quente”.
Incontinente, dado a repercussão do vídeo, presume-se que os "politiqueiros de plantão", sem pelo menos buscar as informações verdadeiras na escola denunciada (muitas vezes o problema é na gestão da escola e não do município), foi obrigar a estudante a desmentir o que havia postado.
Maria Clara inicia o segundo vídeo dizendo: “Eu queria pedir desculpas à secretária Reisimar, da secretaria de Uruçuí, que eu sei que ela viu meu vídeo, anterior reclamando sobre a merenda da escola. Queria pedir desculpa para a coordenadora, para a secretária”. Em seguida, ela busca justificar sua denúncia: “Agi por impulso, por brincadeira e não sabia que podia ir tão além, igual foi a coisa, não sabia que podia ter essa confusão toda”, afirma.
Veja os vídeos e compreenda a jogada.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Para Regina, educação é a saída para enfrentar o feminicídio

Regina Sousa
Foto: Roque de Sá/ Agência Senado
A senadora Regina Sousa (PT-PI) manifestou preocupação com os casos de feminicídio no Brasil e, de maneira especial, no Piauí. Em pronunciamento ao plenário, nessa terça-feira (24), ela lembrou que, apenas na semana passada, dois casos mobilizaram e comoveram a opinião pública.
“Eu acho que a gente tem que se juntar. Eu tenho dito sempre que a questão da violência contra a mulher e a questão do empoderamento da mulher também, são bandeiras nossas e precisam ser discutidas com os homens. A gente faz seminários, faz seminários, mas só há mulheres. Não! Temos que levar os companheiros, os namorados, os irmãos, os pais para discutirem essa questão”, enfatizou a senadora.
Ela destacou o esforço do governo do estado, que desenvolveu e já conta com recursos que garantem a solução de todos os casos de feminicídio. O Piauí tem, hoje, delegacias com plantão de gênero, 24 horas à disposição. Também conta com o aplicativo Salve Maria. Apesar de todos esses esforços, em 2017, o Piauí registrou 23 casos de feminicídio.
Para ela, a educação e a discussão do tema em família – primeiro educando as crianças e, depois, conversando com os companheiros – são as melhores maneiras de enfrentar o problema.
“É preciso educar a criança para a não violência; incutir na cabeça dela uma cultura de paz; ensinar que o menino não é melhor que a menina, não pode mais que a menina, não pode bater na irmãzinha. Então, os pais não podem dizer para o menino: "Você é o homem da casa; tome conta da sua irmã!" Porque ele se achará empoderado; para bater inclusive, para castigar. Então, se não houver educação, se as escolas não discutirem”, afirmou.
A senadora lembrou que apresentou projeto que cria os centros de reeducação dos agressores. Ela defende que se não se educarem esses homens enquanto estiverem presos, vão sair da prisão e vão ser agressores de novo. A proposta já foi aprovada pelo Senado e está em tramitação na Câmara dos Deputados.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Câmara de Campo Maior aprova plano de cargos e salários de servidores do SAAE


O plenário da Câmara de Vereadores de Campo Maior aprovou, por unanimidade, nessa terça-feira (22/05), o projeto de lei que cria o novo plano de cargos e salários dos servidores do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Campo Maior (SAAE).
A matéria de autoria do executivo municipal precisou de três aprovações para ser encaminhado à sanção do prefeito municipal. O projeto chegou ao legislativo com o pedido de aprovação em regime especial de urgência. A presidência da casa colocou o pedido de urgência em votação e logo em seguida realizou a primeira votação.
Com as duas aprovações, a mesa diretora encerou a sessão ordinária e remeteu o projeto que cria o novo plano para a Comissão de Constituição e Justiça e a Comissão de Finanças e Orçamento. Após 30 min de debates, as duas comissões apresentaram relatórios favoráveis e o texto voltou a ser votado já na sessão extraordinária. Por unanimidade, os parlamentares aprovaram as alterações.
O diretor do SAAE de Campo Maior, João Lima, explica que o novo plano atende a uma reivindicação dos servidores. “Esse projeto faz justiça aos salários dos servidores e diminui disparidades que aconteciam na folha salarial. Essas melhorias não diminuem nossa capacidade de investimento e nem coloca em risco nossas funções”.
O vereador Fernando Miranda, presidente da Câmara, se referiu ao projeto como inédito na história do município. “Esse plano de cargos e salários é um projeto inédito e uma conquista, uma grande conquista dos servidores de Campo Maior. E essa Câmara mais uma vez demostra que estar do lado do bem”.
Pedido de aprovação
Pela manhã, o presidente do SAAE João Lima se reuniu com um grupo de vereadores para explicar o projeto e pedir apoio nas três votações exigidas pela matéria.
Assessoria Câmara de Campo Maior 

CRAS ZICO MARTINS EM AÇÃO

Confira a programação

m

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Aluno de 12 anos morre atingindo por trave de gol em escola municipal

O aluno Murillo Henrique dos Santos Martins, de 12 anos, morreu nesta quinta-feira (17/5) depois de ser atingido na cabeça pela trave de um gol, no município de Porangatu.
Ele e outros alunos da Escola Municipal Luiz Alves Pereira participavam de um torneio estudantil na última quarta-feira (16) quando aconteceu o acidente.
A prefeitura de Porangatu emitiu uma nota de pesar comunicando o falecimento do estudante. “Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos, pedimos a Deus que conforte os familiares e amigos neste momento de dor que a luz e o amor Divino pairem sobre quem sofre essa imensurável perda”, diz trecho do comunicado.
O Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) informou que apesar dos esforços e procedimentos da equipe multidisciplinar da unidade hospitalar, o garoto que estava internado na UTI pediátrica não resistiu aos ferimentos.
 

quarta-feira, 9 de maio de 2018

ESCÂNDALO EM CAMPO MAIOR: FRAUDE NO SEGURO-DESEMPREGO PASSA DOS 2 MILHÕES DE REAIS

O Ministério do Trabalho, bloqueou 1.729 benefícios no Piauí suspeitos de serem fraudes praticadas por quadrilhas especializadas. Logo que o sistema anti-fraude detectou irregularidades, foram bloqueados qiase R$ 10 milhoes. Todos os casos do Piauí foram na modalidade Emprego Formal.
A maioria dos casos foi registrada em Parnaíba, com 924 fraudes bloqueadas, totalizando um valor de R$ 5,3 milhões. Depois, destacaram-se Campo Maior, com 477 fraudes e R$ 2,4 milhões; Bom Jesus, que teve 163 requerimentos bloqueados, chegando a R$ 1,1 milhão; Teresina, que em 67 fraudes bloqueadas atingiu R$ 362 mil; e Valença do Piauí, com 43 bloqueios e cerca de R$ 278 mil.
O Maranhão é o líder do ranking de fraudes descobertas, enquanto o Pará ocupa a terceira posição, atrás do estado de São Paulo, que está em segundo. No caso do Maranhão, já foram detectados 16,9 mil casos de fraudes no Seguro-Desemprego, gerando uma economia de R$ 74,1 milhões. Em São Paulo, o sistema identificou e bloqueou mais de 10 mil requerimentos, evitando o pagamento irregular de R$ 58,4 milhões. E no Pará, com quase 8,5 mil casos interceptados, a economia alcança mais de R$ 45 milhões.

Exposição Vencendo Obstáculos

Nos dias 11 e 12/04, no Fórum Regional de Politicas Publicas parha Pessoas com Deficiência, Todos pela Inclusão, haverá a exposição “Vencendo Obstáculos”, um projeto da Prefeitura Municipal de Campo Maior, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Geração de Renda de Campo Maior (SEMAS), 
De autoria do CRAS Prof. Altivo, objetiva implantar uma politica de inclusão social e promover autonomia e a inclusão de pessoas com deficiência em atividades físicas, artísticas e de lazer, tornando pública a superação de limitações e desafios, incentivando a construção de uma sociedade sem barreiras.
A amostra apresenta a fotografia de nove pessoas com deficiência, em modalidades como capoeira, natação, balé, desenho, artesanato, que ousaram ir além de suas limitações. 
O projeto desenvolvido pelo CRAS Altivo, através da Secretaria de Assistência Social e Geração de Renda (SEMAS), foi registado pelas lentes do fotografo Leo Seabra, e é uma oportunidade de desenvolver habilidades e ampliar os espaços de atuação e alcance de todas e todos com mais autonomia, seja qual for a condição física, sensorial, intelectual, ou mental.
Leda Maria Camelo - Cadeirante (teve Poliomielite com 1 ano de idade) - Membros da ADEFAC
BALÉ - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV/ SEMAS)
Coreografo: Prof. Jamerson Ruan Alexandre Santos

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Estudante desfere duas facadas em rival dentro da escola

Mais um ato de violência dentro de escola chama a atenção de educadores. Uma estudante do 9°  ano foi esfaqueada por uma colega de classe por volta das 15h desta segunda-feira (7), na escola onde estuda, a Unidade Escolar Antônio Gayoso, no bairro São Joaquim, zona norte de Teresina. Segundo alunos que presenciaram a briga, a vítima, de 16 anos, levou dois golpes de faca, sendo um na barriga e o outro nas nádegas. O desentendimento entre as garotas teria ocorrido por causa de ofensas na rede social Facebook.
Ao chegar à escola, a aluna agressora, também de 16 anos, teria chamado a colega para um “canto” da unidade escolar onde teria sido atacada.
Ainda de acordo com as testemunhas, a agressão ocorreu com a ajuda de outra aluna, de 14 anos. Ela teria segurado a vítima enquanto ela era agredida. 
Um aluno do 7º ano, de 12 anos, que testemunhou o ocorrido, disse que vítima foi agarrada pelas costas e esfaqueada na barriga enquanto colocava as mãos para tentar evitar os golpes. 
“Aconteceu no pátio que fica atrás na escola. Eu vi quando ela agarrou a outra por trás e enfiou as facadas. Nisso, a menina ficou colocando a mão na barriga tentando se defender, mas não conseguiu”, contou o garoto. 
O menino disse também que a vítima foi levada para à diretoria da escola sangrando e permaneceu lá até que o Samu chegasse para levá-la ao HUT.
O capitão Oziel, do 9° Batalhão da PM, infortou que a vítima está consciente e internada no HUT, mas vai ficar em observação.
Crédito da matéria: portal cidade verde

SÓ ATÉ O DIA 18 DE MAIO

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 foram abertas no site nesta segunda-feira (7) e irão até o dia 18 de maio, às 23h59, segundo o manual do candidato. Todos os interessados em participar da prova devem fazê-la, inclusive aqueles que conseguiram a isenção da taxa de R$ 82. A aprovação do pedido de isenção, que foi feito em um período anterior, não significa estar inscrito no exame.
No caso dos estudantes que terão de pagar esse valor para se inscrever, o prazo máximo para quitar o boleto bancário é o dia 23 de maio. Mesmo que haja um feriado regional e os bancos não funcionem, a data-limite não será alterada, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
Para fazer a inscrição, é necessário informar o número do CPF e do RG para que seja criada uma senha. É ela que dará acesso futuramente ao cartão de confirmação e aos resultados, por exemplo. Também é preciso ter um número de celular e um e-mail válidos, para que o Inep envie comunicados diretamente aos candidatos.

Além desses dados, os estudantes têm de afirmar se necessitam de algum atendimento especializado no dia da prova (como para pessoas com deficiência ou lactantes). Em outra etapa da inscrição, precisam marcar se a língua estrangeira cobrada na prova será o inglês ou o espanhol.

sábado, 5 de maio de 2018

Cartórios Eleitorais registram pouco movimento de eleitores


Servidores da 96 Zona Eleitoral 
Faltando apenas 4 dias para o encer-ramento de regularização, tranferencias e alistamento de eleitores, os dois Cartórios Eleitorais de Campo Maior registram pouca movimentação. 
Funcionando em regime de plantão nesse final de semana, os cartórios estarão abertos até as 13:00h. De segunda até quarta-feira,  prazo final da Justiça Eleitoral para essas atividades, os cartórios vão estar abertos até as 17:00h. Os servidores da Justiça Eleitoral esperam que o movimento aumente nesses dias finais.
"É um momento de cidadania " afirma Karine
Para Karine Carvalho, 16 anos, aluna da Unidade Escolar 13 de Março,  "é importante para o jovem participar das eleições,  pois é o momento de escolher quem vai nos representar. É um momento de cidadania", disse ao blog no momento em que se alistava como eleitora.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Campo Maior supera índices nacionais do Bolsa Família

Miguel Ribeiro em entrevista à Revista da Manhã 

O acompanhamento das 4.525 crianças e jovens entre 6  a 17 anos, beneficiários do Bolsa Família, mereceu o destaque do Ministério do Desenvolvimento Social - MDS, como muito bom, no Boletim Informativo de fevereiro de 2018. Segundo o MDS, o município vem desenvolvendo um rigoroso trabalho que o coloca acima da média nacional .
Para o Gerente do Bolsa Família em Campo Maior,  Miguel Ribeiro,  os índices obtidos "são frutos da articulação da Secretária Municipal de Assistência Social com a Secretaria de Educação e as escolas. Além da frequência, há uma criteriosa análise de baixa frequência, no sentido de articular ações que superem essa vulnerabilidade.
Miguel Ribeiro, em entrevista na "Revista da Manhã" chamou a atenção das famílias beneficiárias do Bolsa Família a procurarem a Secretária Municipal de Assistência Social para a atualização do Cadastro Único, no sentido de que não percam o benefício. 
"Se Campo Maior atingiu o índice de 99,15% de acompanhamento da frequência escolar, enquanto a média nacional é de 91%, é devido ao cuidadoso trabalho da equipe social da SEMAS, através da busca ativa e das campanhas frequentes de sensibilização da responsabilidade das famílias assistidas" frisou Ribeiro .
Os dados referentes ao Bolsa Família em Campo Maior podem ser conferidos no site do MDS.


quarta-feira, 2 de maio de 2018

Os bons índices da saúde em Campo Maior

"Nas avaliações do Ministério da Saúde Campo Maior tem merecido elogios pelo bom desempenho apresentado nas ações de prevenção". Assim iniciou Marcelo Miranda  o bate-papo na Revista da Manhã desta quarta-feira, 2 de maio.
O secretário foi ao programa reforçar o chamamento da população para a campanha de vacinação, iniciada no último dia 22 de abril. A previsão é que mais de 13.000 campo-maiorense sejam imunização nesta campanha.
"Como diziam nossos avós, é melhor prevenir que remediar. Por isso estamos envidando todos os esforços para que possamos atingir, pelo menos, 90% da nossa meta", pontuou Miranda.

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE

CRONOGRAMA DA CAMPANHA – H1N1 2018
   • 23.04 A 27.04 – TRABALHADORES DE SÁUDE, CRIANÇAS DE 6 MESES A 4 ANOS (1o DOSE) E PUÉRPERAS

• 30.04 A 04.05 – IDOSOS ACIMA DE 60 ANOS   • 07.05 A 11.05 – IDOSOS E OS GRUPOS ANTERIORES

• 12 DE MAIO (SÁBADO) – DIA D DE MOBILIZAÇÃO NACIONAL
• 14.05 A 18.05 – COMORBIDADES, GESTANTES E PROFESSORES • 21.05 A 25.05 – IDOSOS, PRIVADOS DE LIBERDADE E FUNCIONARIOS
DO SISTEMA PRISIONAL • 28.05 A 01.06 – TODOS OS GRUPOS E CRIANÇAS DE 6 MESES A 4 ANOS.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Nilzana Gomes agradece apoio da sociedade no período das enchentes



A Secretária de Assistência Social, Nilzana Gomes, participou na manhã deste feriado, 1 de maio, de um bate-papo no Programa Revista da Manhã, apresentado pelo professor Jorge Câmara e Silvana Morais. Na oportunidade, a Secretária relatou as ações desenvolvidas pela Semas na execução das políticas públicas, que visam assistir  a população em vulnerabilidade social.
Para Nilzana, uma das grandes preocu-pações é a capacitação das famílias assistidas. "Temos tido a preocupação em capacitar como forma de garantir a independência dessas famílias. Entendemos que uma cesta básica é apenas um momento e a capacitação vai garantir várias oportunidades de manutenção ".
Outras ações destacadas foram a qualificação dos conselheiros ligados às áreas socias (crianças,  idosos, mulheres,  pessoas com deficiência), que segundo Nilzana, "são parceiros importantes na elaboração e planejamento das políticas sociais"; o planejamento da  II Feira AmoreArte, pelo sucesso de divulgação e valorização do artesanato de Campo Maior e regiao  e as feiras da agrcultura familiar garantem a melhoria da renda de centenas de famílias.
A secretária estava acompanhada do gerente administrativo da Semas, Marcos Roberto.
Nilzana Gomes destacou, ainda, as acões  realizadas no período de enchentes e agradeceu a solidariedade da população que ajudou de todas as formas.
"Realizamos diariamente uma serie de ações e temos a felicidade de ter uma equipe comprometida e disposta", agradeceu Nilzana Gomes.
A secretária também aproveitou o espaço para parabenizar a todos pelo Dia do Trabalhador.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

A primeira medalha de Campo Maior


Pela primeira vez, um aluno da Rede Pública Municipal de Ensino é medalhista na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas  (OBMEP).
Ricardo Rogério Oliveira da Silva, 13 anos, aluno da Escola Municipal Prof. Hilson Bona, foi premiado pelo bom desempenho na Olimpíada. 
O estudante recebeu medalha de bronze e ganhou uma bolsa de R$ 1.200,00 do Programa de Iniciação Científica Jr (PIC). 
A premiação foi recebida com muito entusiasmo pela escola e pela Secretária de Educação Conceição Lima. 
Para Lima, "esse é um momento importante, é o primeiro resultado dos esforços realizados pelo município para que tenhamos uma educação de qualidade. É o foco dos professores, dos projetos e programas que realizamos, é dos alunos que sentem a importância que tem cada um".

DIA DA FAMÍLIA


A Unidade Escolar 13 de Março realiza durante todo o dia de hoje, segunda-feira 30 de abril, o Dia da Família.
Trazer a família para participar do dia-a-dia da vida da escolar é um dos maiores desafios de se promover uma educação de qualidade, pois, através da assistência dos responsáveis,
Centenas de pais se encontram reunidos fazendo vários questionamentos quanto é importante a presença da família na vida dos filhos.


Várias dinâmicas foram realizadas para motivar o conhecimento dos pais a pequenos detalhes de seus filhos.
 



quarta-feira, 25 de abril de 2018

Alunos da rede pública foram prejudicados com pedido de isenção do Enem

O Governo Temmer da mais um golpe mortal na educacio. Desta feita, tirando aproximadamente um milhão de estudantes que deixarão de realizar o Enem 2018. 
Mudar o procedimento para solicitação de isenção da taxa de inscrição ao custo de R$ 82,00, foi mais uma armadilha do MEC com o propósito do desmonte do Ensino Superior iniciado nesse governo.   
O curto prazo de inscrição e o fim da isenção automática aos estudantes de baixa renda, excluíram centenas de milhares de jovens do acesso à prova que permite o ingresso nas universidades públicas e privadas do país.



Em 2017, 4.731.592 alunos pediram a isenção da taxa de inscrição. Já neste ano, o número caiu para 3.818.663. Ou seja, 19% a menos se comparado os dois períodos. Outros 500 mil estudantes tiveram o benefício negado, apesar de terem feito o pedido.



Dentre os mais de 3,8 milhões que solicitaram a isenção de cobrança este ano, 971.924 são candidatos na situação de concluintes do ensino médio em escola pública. No ano passado, esse número foi de 1.486.448. A queda é de 34,6%.



Um prazo muito curto para os milhões de alunos com baixa renda no país se adaptarem às novas regras.


Exatamente ao contrário do governo da presidenta Dilma Rousseff, que, desde 2013, isentava automaticamente da cobrança quem estivesse nas seguintes condições:



- Cursou a última série do Ensino Médio em escola da rede pública declarada ao Censo Escolar;



- Fez todo o ensino médio em escola da rede pública ou concluiu como bolsista integral na rede privada, e tinha renda por pessoa, igual ou menor, que um salário mínimo e meio (R$ 1.431);



- Estava em situação de vulnerabilidade socioeconômica por serem integrantes de família de baixa renda - per capita de até meio salário mínimo (R$ 477) ou renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 2.862);



- Ter feito o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) com nota mínima para certificação. (...)

terça-feira, 24 de abril de 2018

Com lágrimas nos olhos reproduzo a matéria

Prisão de Lula é devastadora para a Justissa!


Há dezesseis dias, Lula é um preso político do Estado de exceção que tomou o Brasil.

O resultado prático desta prisão, contudo, não foi bem avaliada nem pelo judiciário, nem pelos opositores políticos de Lula. O tão abominado “jeitinho” brasileiro, marca por muitos anos dos nossos políticos, agora é usado pela Justissa em sua cruzada moralista contra a esquerda. Mostra, pois, que qualquer crítica a este nosso traço cultural é apenas preconceito. Desde o primeiro grau, até Carmem Lúcia, a prisão de Lula foi concertada unicamente a partir do princípio do “eu posso, eu faço”. Desde a falta de provas, apresentações espalhafatosas para a mídia, vazamentos ilegais até a decisão vergonhosa dos três desembargadores de Porto Alegre, havia ainda, internacionalmente, um fio de respeito pelas instituições brasileiras. Diversos jornais e analistas estrangeiros se postavam com cuidado para falar do tema. Era sim, o processo brasileiro, eivado de irregularidades e claramente político, mas era custoso ao mundo ocidental olhar para o Brasil e ver a história da Europa recontada. Tudo na lava a jato é semelhante às perseguições dos tribunais nazistas e fascistas. O Velho Mundo não estava preparado para aceitar que o fascismo estava de volta, e pelas mãos dos (supostamente) mais “educados” e “cultos”.

A lava a jato perdeu de vez a luta pela narrativa internacional a partir do “jeitinho” de Carmem Lúcia, denunciado ao vivo em plenário por Marco Aurélio, Gilmar Mendes e Celso de Mello, em pautar o julgamento ao invés das ações de questionamento constitucional. Ficou ainda mais evidente a imensa diferença de capacidade técnica entre a procuradora-geral e os advogados de defesa. Aos observadores internacionais ficava patente que não havia sequer o convencimento institucional da culpa de Lula. E os que ali estavam a defender isto eram, ainda, péssimos atores. O desespero de Sérgio Moro, atropelando ritos e etapas formais do direito, para mandar prender Lula, lembra o estado de ejaculação precoce de adolescentes. Moro viu uma canela, um decote e não se aguentou. Aos observadores internacionais, que aprenderam que o Direito é composto igualmente por forma e conteúdo, as ações de Moro foram outra evidência de que a fascista lava a jato não tinha qualquer legalidade.

Lula se deu ao cárcere. Apesar da resignação incontida e brilhante de São Bernardo do Campo.

Na última semana, a Justissabrasileira vem perdendo ainda mais licitude. Uma juíza, cuja legitimidade resta inteiramente num concurso com três provas, achou por bem barrar um prêmio Nobel da Paz em seu intento de visitar Lula. Do alto do conhecimento social e histórico acumulado pela Juíza para passar em seu concurso, ela acreditou que não apenas proibir as visitas, mas espezinhar Pérez Esquivel seria uma boa mensagem da Justissabrasileira para o mundo. “O problema é dele” teria dito a juíza ao negar Esquivel e Boff. A foto de Leonardo Boff, com sua bengala e barbas brancas, sentado à frente do calabouço que enfiaram Lula, na República de Curitiba, é um míssil nuclear sobre o que restava de confiança na Justissa deste país.

Hoje, ao mesmo tempo que surgem outras notícias a respeito de mais negativas dada pela juíza a senadores, personalidades internacionais, candidatos à presidência, de dentro do calabouço aparecem narrativas redentoras. Policiais que têm contato diário com Lula publicam que, em quinze dias com o presidente, começam a “ter dúvidas” sobre a vilania do preso político. Um policial inclusive, relata que Lula é simples, educado e atencioso com todos. Este mesmo policial menciona que tinha “certeza” da culpa de Lula e hoje não tem mais.

Os resultados dos 16 dias de prisão política de Lula são assustadores, do ponto de vista interno e internacional. Internamente o Partido dos Trabalhadores assiste a uma onda de filiações que, em números relativos, supera os melhores momentos da presidência de Lula. A esquerda brasileira parece finalmente ter entendido que a união é o único caminho e até Ciro Gomes, vejam só, assina pedido de visita ao ex-presidente. Jovens trabalhadores pelo país inteiro mandam vídeos de apoio a Lula, cartas inundam o calabouço onde está preso. A vigília do acampamento à frente grita toda manhã “Bom dia presidente!”, ao que fontes confiáveis dizem que Lula, com lágrimas nos olhos responde: “Bom dia meu povo”!.

Lula arrebenta o judiciário brasileiro. O MP racha e surgem grupos a assinar manifestações contra a flagrante prisão política. Os bravos magistrados da Associação de Juízes pela Democracia fazem o que a vergonhosa OAB de Lamachia se furta covardemente de fazer. Não surpreende a quem conhece a trajetória do presidente da OAB no RS. Advogados são desrespeitados em todo o país, o próprio Direito perde sua consistência e encontra na AJD a voz que a OAB trocou por rompantes políticos. Lula preso desmascara o “jeitinho” do STF, o populismo punitivista com “pitadas de psicopatia” de Barroso, Fux e Fachin. Lula preso, mostra que a Rosa foi sim vencida pelos canhões. E isto tudo via Twitter.

Como se não bastasse, surgem evidências de que a Odebrecht teria pago Cunha para sabotar Dilma. O Karma veio imediato, a empresa foi destruída e o neto do fundador preso. Aécio, que ombreia na adolescência com Moro, descobriu como é duro e custoso acabar com a democracia. Se não foi o “primeiro a ser comido”, já está sendo cozinhado em fogo brando, juntamente com a desprotegida irmã. O MTST invade o famoso “muquifo do Guarujá” e mostra que as notas das “reformas” e “melhorias”, usadas por Moro para tentar chegar a um montante crível de corrupção, são falsas. O apartamento é mal construído, mal pensado e com acabamentos que nenhum pedreiro, com um mínimo de competência, faria pior. O famoso elevador se resume a uma portinhola que este que vos escreve pensa não conseguiria entrar.

Mas o pesadelo não terminou. Temer, acossado cada vez mais internamente por sua conhecida trajetória com desconhecidas transações e empresas, não ganhou um milímetro de apoio interno ou internacional. As exportações brasileiras caem para a União Europeia ou são até proibidas. E para o observador desatento as desculpas dadas pelos europeus parecem “técnicas”, mas são no exato modelo das condenações da lava a jato. O recado é claro, a cruzada moralista de Moro e seu culto de adoradores continuam a fazer mal ao Brasil, principalmente para a sua economia.

Nenhum candidato da direita tem chance no pleito que se segue. O primeiro colocado é Lula, que preso já ganha no primeiro turno. O próximo mais votado é “quem Lula indicar”, segundo as pesquisas. O terceiro mais votado é um tal de “brancos e nulos”, caso Lula seja proibido e decida não legitimar as eleições. O quarto mais votado é o mundialmente reconhecido “perigo para a Democracia”, Jair Bolsonaro. Que recentemente descobriu que pode recuperar a economia brasileira explorando o leite de ornitorrinco da Amazônia.

Por qualquer ângulo que se veja a prisão de Lula, ela está sendo brutalmente devastadora para a Justissa brasileira. E, enquanto Moro for tomado como Sua Santidade do judiciário, todo este poder continua afundando. Não tardará para que o Legislativo exerça sua histórica revanche. Em menos de cinco anos diversas leis contra o poder e mordomias do judiciário serão silenciosamente aprovadas. E Moro terminará numa vara a julgar pensões e aposentadorias do INSS. Bem longe dos holofotes. O que será devastador para seu inflado ego.

Uma das mais odiosas formas de tortura e punição medieval era o “emparedamento”. O prisioneiro era preso com correntes junto a um muro e outro muro de pedras era erigido na sua frente. Virtualmente se apagava o sofredor da vida material, não deixando sequer vestígios de sua existência material. A lava a jato tentou, mas é Lula quem empareda a Justissabrasileira. Prender Lula é como tentar enxugar gelo.

Bom dia, Presidente!

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Prefeitura de Campo Maior: saúde do estudante passa por alimentação saudável

Nesta segunda-feira, 23/4, o secretário municipal de Saúde de Campo Maior, Marcelo Miranda, acompanhou a palestra sobre alimentação saudável na Escola Leopoldo Pacheco, que contou com participação da Supervisora do PSE, diretoras, docentes, discentes e a equipe da UBS de Lourdes e Nasf, além da enfermeira Ryanne Pereira.
A ação faz parte do Programa Saúde na Escola (PSE) que visa à integração e articulação permanente da educação e da saúde, proporcionando melhoria da qualidade de vida dos educandos.
Marcelo Miranda disse que PSE tem como objetivo contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção da saúde, de prevenção de doenças e agravos à saúde e de atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino.

Saiu o resultado da taxa de isenção do Enem 2018

O resultado dos pedidos de isenção da taxa da edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2018) foi divulgado na manhã desta segunda-feira (23). Para verificar se teve a solicitação deferida ou não, o candidato precisa acessar a Página do Participante e logar no sistema do Enem com CPF e senha.
Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 87% das 3.818.663 solicitações foram aprovadas, garantindo a 3.318.149 pessoas o direito de não pagar inscrição. Esse número pode subir após o período de recursos, também aberto na manhã desta segunda-feira.
As 500.513 pessoas que tiveram a solicitação de isenção ou a justificativa de ausência reprovadas terão direito a entrar com recursos entre até as 23h59 (horário de Brasília) deste domingo (29). O resultado do recurso será divulgado em 5 de maio. Veja quais os documentos aceitos para os recursos da solicitação de isenção.
Todos os interessados em fazer o Enem, com solicitações aprovadas ou não, deverão fazer a inscrição entre 7 e 18 de maio. A taxa custará R$ 82.
Esse é o primeiro ano em que os candidatos com direito à isenção precisam garantir o benefício antes do período de inscrições.

Recurso de justificativa de ausência

O Inep divulgou também nesta segunda o resultado da justificativa de ausência para aqueles tiveram a isenção no ano passado, não compareceram aos dois dias de prova e pleiteavam nova isenção.
Das 208.588 pessoas que acessaram o sistema para justificar ausência no Enem 2017, apenas 8.486 apresentaram alguma documentação, segundo o Inep. As demais 200.102 pessoas afirmaram não ter documentos comprobatórios. Das 8.486 justificativas com documentos, 4.141 foram reprovadas.
Somando aqueles que não apresentaram documentos e aqueles que tiveram os documentos reprovados, 204.243 pessoas terão uma segunda chance de apresentar os comprovantes durante o período de recursos. Os documentos são os mesmos exigidos no prazo regular (veja quais são). O resultado do recurso será divulgado em 5 de maio.
Estão isentos aqueles que:
  • - estão cursando a última série do Ensino Médio, em 2018, em escola da rede pública declarada ao Censo Escolar;
  • fizeram todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsistas integrais na rede privada, e têm renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio (R$ 1.431);
  • estão em situação de vulnerabilidade socioeconômica por serem integrantes de família de baixa renda e que possuam Número de Identificação Social (NIS), único e válido, e renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 477) ou renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 2.862);
  • fizeram o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2017 e atingiram nota mínima para certificação.

domingo, 22 de abril de 2018

Carta aos Bispos e aos Católicos

Carta aberta aos bispos brasileiros,

por ocasião da 56ª Assembleia Geral da CNBB[1]

Senhores bispos,

Mais uma vez a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se reúne em assembleia para discutir os rumos da Igreja Católica no Brasil. 

A CNBB nasceu da inspiração de Dom Hélder, o “santo rebelde”. E Dom Helder se tornou referência ética e profética para os cristãos porque sempre foi um discípulo que tinha lado: o lado dos pobres, dos excluídos, dos marginalizados, dos sem voz e sem vez. Optou por seguir, radicalmente, Jesus de Nazaré - que nunca deixou de afirmar com gestos, palavras, ações e testemunhos que o Deus da vida é do Deus dos pobres e dos sofredores.
Neste ano do laicato, a CNBB está a insistir no protagonismo dos leigos. Pois muito bem! Estamos aqui para incitá-los a um debate e uma reflexão sobre a vida (e a morte) dos brasileiros e o papel da Igreja Católica no momento atual do nosso país.

Num país marcado pela secular e avassaladora desigualdade social[2], pela violência estrutural[3] e pela injustiça[4], a impossibilitar condições de vida com dignidade a milhões de brasileiros[5], o testemunho cristão é um imperativo ético, um dever profético e uma atitude de fé.

Nos últimos anos assistimos em nosso país ao recrudescimento de disputas reais e simbólicas que redundam num quadro de deterioração sem precedentes de conquistas sociais e políticas dos brasileiros. Como se não bastasse tão grandiosa desventura, um clima de ódio e de violências se espraiam no país.

A CNBB já se manifestou algumas vezes sobre alguns desses temas[6]. Não obstante, a coalizão governista toca uma avassaladora política ultraliberal e continua a empreitada de privatização e esfacelamento do estado e das políticas sociais.

Por outro lado, há um vertiginoso crescimento de grupos religiosos ultraconservadores, inclusive dentro do espectro do catolicismo, colonizando os poderes públicos e usando de estratégias violentas para a criminalização dos mais pobres, dos defensores dos direitos humanos, dos movimentos sociais organizados; enfim, de segmentos que lutam por uma sociedade mais justa, igualitária, fraterna e inclusiva.

No quadro político, a deterioração dos três poderes da República sinaliza a ausência de qualquer perspectiva para saídas democráticas e constitucionais à crise institucional que se instalou no país desde as eleições de 2014, agravando-se com o impedimento da ex-presidente Dilma Rousseff, sem comprovação de crime de responsabilidade, e a controversa prisão do ex-presidente Lula, marcada por um processo caracterizado pela politização judicial[7]. Esses fenômenos não podem ser naturalizados e refletem os caminhos tortuosos da vida política nacional.

A imprensa, dominada por oligopólios econômicos, atua em uníssono como um partido político, a impor uma “verdade única” e a insuflar a radicalização dos discursos de ódio. As redes sociais se transformam num patíbulo.

O desrespeito à ordem constitucional levou membros das Forças Armadas, na ativa, a desrespeitarem flagrantemente a lei[8] , manifestando publicamente suas posições políticas e partidárias.

O Supremo Tribunal Federal se transformou num campo de batalhas, exibidas em rede nacional, para o constrangimento geral.

O panorama eleitoral é dos mais complexos: projeções especializadas dão conta que é alta a tendência, nas eleições deste ano, de manutenção dos atuais ocupantes do Congresso Nacional[9], caracterizado pelo conservadorismo[10] e por implementar uma série de reformas que maculam a Constituição Federal de 1988.

Sob outra perspectiva, há uma clara estratégia de empoderamento político-partidário de muitas igrejas evangélicas pentecostais e neopentecostais e partidos ligados a elas para ampliarem suas bancadas na Câmara e no Senado a partir de 2019.[11]

O quadro torna-se ainda mais complexo à medida que está cada vez mais incerta a realização das eleições, previstas para outubro deste ano.

Nesse cenário, a tendência de um acirramento das disputas parece evidente. Além do escandaloso contingente de homicídios no país (cerca de 60 mil por ano, vitimando principalmente pobres, negros e jovens), o número de ativistas executados nos últimos cinco anos já chega a 194, sendo 20 apenas no Rio, segundo levantamento do jornal “O Estado de São Paulo”. A União de Vereadores do Brasil informa que o número de vereadores e de prefeitos mortos entre 2017 e 2018 já chega a 23. Estão de volta os crimes políticos, a nos recordarem, entre outros acontecimentos, os tempos sombrios da Ditadura.

Como é sabido, num país historicamente marcado pela aniquilação das vozes que discordam do establishment, certamente serão os pobres, os movimentos sociais e os grupos vulneráveis que padecerão da violência estatal à medida que se aprofundam as crises política, econômica e institucional.

Por isso, pensamos que a CNBB, tendo em vista sua história na luta pelas liberdades democráticas e pela justiça social, é convidada a se posicionar claramente sobre a situação política atual do nosso país, a indicar à sociedade brasileira caminhos de superação da crise.

Está em jogo, no atual momento, o futuro da nossa Nação. Muitos podem argumentar que a pior atitude da Igreja, com vista a agradar gregos e troianos, seria a omissão. É fato que uma atitude profética sempre implicará em riscos.

O medo e a paralisia que se abateram sobre muitas lideranças sociais e políticas - e que trarão consequências perversas à vida do nosso povo – poderiam ser enfrentados com corajosa atitude profética dessa Conferência, nesse momento crucial da vida nacional.

Não poderia ser diferente. Terminamos essa modesta missiva com um trecho da última exortação apostólica do Papa Francisco: “Não podemos propor-nos um ideal de santidade que ignore a injustiça deste mundo, onde alguns festejam, gastam folgadamente e reduzem a sua vida às novidades do consumo, ao mesmo tempo em que outros se limitam a olhar de fora enquanto a sua vida passa e termina miseravelmente. ” (Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate, 101).
_____
[1] De 11 a 20 de abril de 2018, em Aparecida (SP).

[2] Relatório de janeiro de 2018 da ONG Oxfam aponta que cinco bilionários em nosso país têm a mesma riqueza que a metade mais pobre dos brasileiros e os 5% mais ricos detém a mesma fatia de renda dos demais 95% da população.

[3] CNBB. Texto-base da Campanha da Fraternidade de 2018: “A violência como sistema no Brasil”, pp 24-29.

[4] CNBB. Texto-base da Campanha da Fraternidade de 2018: “A ineficiência do aparato judicial”, pp 38-40.

[5] “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10).

[6] Nota sobre o momento nacional, de 21 abr. 2015; Nota sobre a PEC 241, de 27 out. 2016; Nota sobre a PEC 287/2016 (Reforma da Previdência), de 23 mar. 2017; Nota pública contrária ao projeto de reforma trabalhista, de 10 jul. 2017 e Nota sobre o atual momento político, de 26 out. 2017.

[7] O jurista italiano Luigi Ferrajoli, um dos expoentes das teorias do garantismo constitucional, escreveu sobre o tema. Confira no link a seguir: [https://rodrigocarelli.org/2018/04/07/uma-agressao-judiciaria-a-democracia-luigi-ferrajoli]. O livro “Comentários a uma Sentença Anunciada: o Processo Lula”, reúne 103 artigos, de 122 juristas, que apontam problemas e equívocos na sentença do Juiz Sergio Moro, que condenou o ex-presidente Lula no caso do tríplex.

[8] O decreto 4.346, de 26 de agosto de 2002, que regula o comportamento de militares das Forças Armadas Brasileiras não permite a manifestação pública, sem uma autorização prévia, sobre política. Trata-se do item 57 do anexo sobre a relação de transgressões: "Manifestar-se, publicamente, o militar da ativa, sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária." O texto foi assinado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

[9] “Câmara deverá ter um dos maiores índices de reeleição das últimas décadas, projeta Diap”. Veja em: [http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/camara-deve-ter-um-dos-maiores-indices-de-reeleicao-das-ultimas-decadas-projeta-diap].

[10] Segundo reportagem do jornal “O Estado de São Paulo”, de 06 de outubro de 2014, “o aumento de militares, religiosos, ruralistas e outros segmentos mais identificados com o conservadorismo refletem, segundo o diretor do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Antônio Augusto Queiroz, [que] o novo Congresso é, seguramente, o mais conservador do período pós-1964".

[11] “Evangélicos querem eleger 150 deputados e 15 senadores”. Fonte: [http://www.valor.com.br/politica/5257923/evangelicos-querem-eleger-150-deputados-e-15-senadores-este-ano]. Veja, também: “Evangélicos querem Crivella presidente e bancada de um terço da Câmara em 2018”. Fonte: [https://jornalggn.com.br/noticia/evangelicos-querem-crivella-presidente-e-bancada-de-um-terco-da-camara-em-2018/].

ASSINAM:
Robson Sávio Reis Souza, professor e assessor de movimentos sociais e eclesiais.

Roberto Jefferson Normando
Coordenador Executivo do Observatório do Nordeste 
Membro da Coordenação Regional do Setor de Pastoral Social da CNBB NE 2