domingo, 27 de maio de 2018

Aluna é obrigada a pedir desculpas a prefeito após reclamar da merenda escolar


A cada dia surge a necessidade do enfrentamento às ideias que não se deve discutir política em sala de aula. Exemplos de enfurecimento contra estudantes que reclamam de certas condições das centenas de escolas públicas, escondidas nesses rincões piauienses, onda ainda prevalece a "lei da mordaça",  demonstram a responsabilidade do educador em estimular a cidadania política dos estudantes, independentemente da rede de ensino ou da série em que ele estuda.

Um estudante piauiense fez um vídeo para o projeto O Brasil Que Eu Quero, da Rede Globo, denunciando a qualidade da merenda escolar servida na escola municipal onde estuda em Uruçuí. Identificando-se apenas como Maria Clara e como moradora do bairro Fogoso, ela diz que o Brasil que quer é um em que “o lanche da escola deixe der pão seco com suco e passe a ser cachorro quente”.
Incontinente, dado a repercussão do vídeo, presume-se que os "politiqueiros de plantão", sem pelo menos buscar as informações verdadeiras na escola denunciada (muitas vezes o problema é na gestão da escola e não do município), foi obrigar a estudante a desmentir o que havia postado.
Maria Clara inicia o segundo vídeo dizendo: “Eu queria pedir desculpas à secretária Reisimar, da secretaria de Uruçuí, que eu sei que ela viu meu vídeo, anterior reclamando sobre a merenda da escola. Queria pedir desculpa para a coordenadora, para a secretária”. Em seguida, ela busca justificar sua denúncia: “Agi por impulso, por brincadeira e não sabia que podia ir tão além, igual foi a coisa, não sabia que podia ter essa confusão toda”, afirma.
Veja os vídeos e compreenda a jogada.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Para Regina, educação é a saída para enfrentar o feminicídio

Regina Sousa
Foto: Roque de Sá/ Agência Senado
A senadora Regina Sousa (PT-PI) manifestou preocupação com os casos de feminicídio no Brasil e, de maneira especial, no Piauí. Em pronunciamento ao plenário, nessa terça-feira (24), ela lembrou que, apenas na semana passada, dois casos mobilizaram e comoveram a opinião pública.
“Eu acho que a gente tem que se juntar. Eu tenho dito sempre que a questão da violência contra a mulher e a questão do empoderamento da mulher também, são bandeiras nossas e precisam ser discutidas com os homens. A gente faz seminários, faz seminários, mas só há mulheres. Não! Temos que levar os companheiros, os namorados, os irmãos, os pais para discutirem essa questão”, enfatizou a senadora.
Ela destacou o esforço do governo do estado, que desenvolveu e já conta com recursos que garantem a solução de todos os casos de feminicídio. O Piauí tem, hoje, delegacias com plantão de gênero, 24 horas à disposição. Também conta com o aplicativo Salve Maria. Apesar de todos esses esforços, em 2017, o Piauí registrou 23 casos de feminicídio.
Para ela, a educação e a discussão do tema em família – primeiro educando as crianças e, depois, conversando com os companheiros – são as melhores maneiras de enfrentar o problema.
“É preciso educar a criança para a não violência; incutir na cabeça dela uma cultura de paz; ensinar que o menino não é melhor que a menina, não pode mais que a menina, não pode bater na irmãzinha. Então, os pais não podem dizer para o menino: "Você é o homem da casa; tome conta da sua irmã!" Porque ele se achará empoderado; para bater inclusive, para castigar. Então, se não houver educação, se as escolas não discutirem”, afirmou.
A senadora lembrou que apresentou projeto que cria os centros de reeducação dos agressores. Ela defende que se não se educarem esses homens enquanto estiverem presos, vão sair da prisão e vão ser agressores de novo. A proposta já foi aprovada pelo Senado e está em tramitação na Câmara dos Deputados.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Câmara de Campo Maior aprova plano de cargos e salários de servidores do SAAE


O plenário da Câmara de Vereadores de Campo Maior aprovou, por unanimidade, nessa terça-feira (22/05), o projeto de lei que cria o novo plano de cargos e salários dos servidores do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Campo Maior (SAAE).
A matéria de autoria do executivo municipal precisou de três aprovações para ser encaminhado à sanção do prefeito municipal. O projeto chegou ao legislativo com o pedido de aprovação em regime especial de urgência. A presidência da casa colocou o pedido de urgência em votação e logo em seguida realizou a primeira votação.
Com as duas aprovações, a mesa diretora encerou a sessão ordinária e remeteu o projeto que cria o novo plano para a Comissão de Constituição e Justiça e a Comissão de Finanças e Orçamento. Após 30 min de debates, as duas comissões apresentaram relatórios favoráveis e o texto voltou a ser votado já na sessão extraordinária. Por unanimidade, os parlamentares aprovaram as alterações.
O diretor do SAAE de Campo Maior, João Lima, explica que o novo plano atende a uma reivindicação dos servidores. “Esse projeto faz justiça aos salários dos servidores e diminui disparidades que aconteciam na folha salarial. Essas melhorias não diminuem nossa capacidade de investimento e nem coloca em risco nossas funções”.
O vereador Fernando Miranda, presidente da Câmara, se referiu ao projeto como inédito na história do município. “Esse plano de cargos e salários é um projeto inédito e uma conquista, uma grande conquista dos servidores de Campo Maior. E essa Câmara mais uma vez demostra que estar do lado do bem”.
Pedido de aprovação
Pela manhã, o presidente do SAAE João Lima se reuniu com um grupo de vereadores para explicar o projeto e pedir apoio nas três votações exigidas pela matéria.
Assessoria Câmara de Campo Maior 

CRAS ZICO MARTINS EM AÇÃO

Confira a programação

m

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Aluno de 12 anos morre atingindo por trave de gol em escola municipal

O aluno Murillo Henrique dos Santos Martins, de 12 anos, morreu nesta quinta-feira (17/5) depois de ser atingido na cabeça pela trave de um gol, no município de Porangatu.
Ele e outros alunos da Escola Municipal Luiz Alves Pereira participavam de um torneio estudantil na última quarta-feira (16) quando aconteceu o acidente.
A prefeitura de Porangatu emitiu uma nota de pesar comunicando o falecimento do estudante. “Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos, pedimos a Deus que conforte os familiares e amigos neste momento de dor que a luz e o amor Divino pairem sobre quem sofre essa imensurável perda”, diz trecho do comunicado.
O Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) informou que apesar dos esforços e procedimentos da equipe multidisciplinar da unidade hospitalar, o garoto que estava internado na UTI pediátrica não resistiu aos ferimentos.
 

quarta-feira, 9 de maio de 2018

ESCÂNDALO EM CAMPO MAIOR: FRAUDE NO SEGURO-DESEMPREGO PASSA DOS 2 MILHÕES DE REAIS

O Ministério do Trabalho, bloqueou 1.729 benefícios no Piauí suspeitos de serem fraudes praticadas por quadrilhas especializadas. Logo que o sistema anti-fraude detectou irregularidades, foram bloqueados qiase R$ 10 milhoes. Todos os casos do Piauí foram na modalidade Emprego Formal.
A maioria dos casos foi registrada em Parnaíba, com 924 fraudes bloqueadas, totalizando um valor de R$ 5,3 milhões. Depois, destacaram-se Campo Maior, com 477 fraudes e R$ 2,4 milhões; Bom Jesus, que teve 163 requerimentos bloqueados, chegando a R$ 1,1 milhão; Teresina, que em 67 fraudes bloqueadas atingiu R$ 362 mil; e Valença do Piauí, com 43 bloqueios e cerca de R$ 278 mil.
O Maranhão é o líder do ranking de fraudes descobertas, enquanto o Pará ocupa a terceira posição, atrás do estado de São Paulo, que está em segundo. No caso do Maranhão, já foram detectados 16,9 mil casos de fraudes no Seguro-Desemprego, gerando uma economia de R$ 74,1 milhões. Em São Paulo, o sistema identificou e bloqueou mais de 10 mil requerimentos, evitando o pagamento irregular de R$ 58,4 milhões. E no Pará, com quase 8,5 mil casos interceptados, a economia alcança mais de R$ 45 milhões.

Exposição Vencendo Obstáculos

Nos dias 11 e 12/04, no Fórum Regional de Politicas Publicas parha Pessoas com Deficiência, Todos pela Inclusão, haverá a exposição “Vencendo Obstáculos”, um projeto da Prefeitura Municipal de Campo Maior, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Geração de Renda de Campo Maior (SEMAS), 
De autoria do CRAS Prof. Altivo, objetiva implantar uma politica de inclusão social e promover autonomia e a inclusão de pessoas com deficiência em atividades físicas, artísticas e de lazer, tornando pública a superação de limitações e desafios, incentivando a construção de uma sociedade sem barreiras.
A amostra apresenta a fotografia de nove pessoas com deficiência, em modalidades como capoeira, natação, balé, desenho, artesanato, que ousaram ir além de suas limitações. 
O projeto desenvolvido pelo CRAS Altivo, através da Secretaria de Assistência Social e Geração de Renda (SEMAS), foi registado pelas lentes do fotografo Leo Seabra, e é uma oportunidade de desenvolver habilidades e ampliar os espaços de atuação e alcance de todas e todos com mais autonomia, seja qual for a condição física, sensorial, intelectual, ou mental.
Leda Maria Camelo - Cadeirante (teve Poliomielite com 1 ano de idade) - Membros da ADEFAC
BALÉ - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV/ SEMAS)
Coreografo: Prof. Jamerson Ruan Alexandre Santos

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Estudante desfere duas facadas em rival dentro da escola

Mais um ato de violência dentro de escola chama a atenção de educadores. Uma estudante do 9°  ano foi esfaqueada por uma colega de classe por volta das 15h desta segunda-feira (7), na escola onde estuda, a Unidade Escolar Antônio Gayoso, no bairro São Joaquim, zona norte de Teresina. Segundo alunos que presenciaram a briga, a vítima, de 16 anos, levou dois golpes de faca, sendo um na barriga e o outro nas nádegas. O desentendimento entre as garotas teria ocorrido por causa de ofensas na rede social Facebook.
Ao chegar à escola, a aluna agressora, também de 16 anos, teria chamado a colega para um “canto” da unidade escolar onde teria sido atacada.
Ainda de acordo com as testemunhas, a agressão ocorreu com a ajuda de outra aluna, de 14 anos. Ela teria segurado a vítima enquanto ela era agredida. 
Um aluno do 7º ano, de 12 anos, que testemunhou o ocorrido, disse que vítima foi agarrada pelas costas e esfaqueada na barriga enquanto colocava as mãos para tentar evitar os golpes. 
“Aconteceu no pátio que fica atrás na escola. Eu vi quando ela agarrou a outra por trás e enfiou as facadas. Nisso, a menina ficou colocando a mão na barriga tentando se defender, mas não conseguiu”, contou o garoto. 
O menino disse também que a vítima foi levada para à diretoria da escola sangrando e permaneceu lá até que o Samu chegasse para levá-la ao HUT.
O capitão Oziel, do 9° Batalhão da PM, infortou que a vítima está consciente e internada no HUT, mas vai ficar em observação.
Crédito da matéria: portal cidade verde