sexta-feira, 22 de março de 2019

Professores, precisamos nos preparar para uma grande batalha

Os últimos meses têm sido de muita apreensão para professores e profissionais da educação, principalmente para os da rede pública de ensino. Há um verdadeiro orquestramento contra professores, como se fossemos os responsáveis por tantos anos de descaso e de mentiras do Poder Público.

Os dados de uma série histórica, remetem-nos à necessidade de uma reflexão profunda sobre o protagonismo de jovens estudantes e professores. Muitas são as dificuldades que diariamente temos que superar em sala de aula: péssima infraestrutura, falta de políticas públicas reais, ausência da família no processo de ensino/aprendizado, capacitações que são apenas para enganar nas prestações de contas... Some-se a isso uma sobrecarga de trabalho dos profissionais da educação que, sem uma política de valorização, precisam trabalhar em outras redes ou em atividades diferentes da educação.

Vale a pena conferir a entrevista do diretor de Políticas Educacionais, Olavo Nogueira, da ONG Todos pela Educação, na CBN, analisando os últimos dados do IDEB.

Confira a entrevista clicando AQUI

segunda-feira, 11 de março de 2019

Enem terá nova diagramação para economizar papel

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá uma nova diagramação na edição deste ano. O exame não terá mais folha de rascunho. Agora, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), os cadernos de questões do Enem terão um espaço em branco para apoio na elaboração de cálculos e da redação. 

A medida gerará "uma significativa economia com papel e impressão", de acordo com o Inep. Além da mudança na diagramação, os dados biométricos dos estudantes passarão a ser coletados com uma pequena esponja que permite a coleta da digital e pode ser utilizada mais de três mil vezes. Até o ano passado, a coleta da digital era feita com uma lâmina de grafite, individual. 

A capacitação dos colaboradores envolvidos na aplicação do Enem será feita principalmente a distância, reduzindo a capacitação presencial. Ao todo, cerca de 500 mil pessoas trabalham na aplicação das provas. Segundo o Inep, essa medida eliminará gastos com passagem aérea e terrestre, hospedagem, aluguel de salas e auditórios em diversas partes do país.

Neste ano, o Enem será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. As inscrições estarão abertas de 6 a 17 de maio. Entre 1º e 10 de abril os estudantes poderão pedir isenção da taxa de inscrição. Nesse mesmo período, o Inep vai receber as justificativas dos que faltaram às provas em 2018.
Economia

As medidas que serão adotadas no Enem fazem parte do Programa de Redução de Custos e Otimização dos Recursos Logísticos, um dos seis pilares do Programa de Modernização do Inep. O Programa recorre a um modelo de tutoria, no qual consultores externos atuam em conjunto com as equipes internas. 

Ao todo, o Inep estima uma economia de R$ 42 milhões nos exames e avaliações de 2019 que estão a cargo da autarquia. Economia que, ao longo do ano, pode ser ainda maior do que a esperada. "Com a contribuição de consultores contratados, pretendemos diminuir ainda mais os custos a partir da redução de despesas adicionais. Todas as medidas de economia estão sendo adotadas de forma a manter a qualidade na impressão, distribuição, monitoramento, segurança e aplicação dos exames do Inep”, diz o presidente da autarquia, Marcus Vinicius Rodrigues, em nota divulgada pelo Inep. 

Além do Enem, o Inep é responsável por avaliações como a Prova Brasil, o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) e o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade).

sexta-feira, 8 de março de 2019

Em apenas 25% das profissões, mulheres e homens ganham o mesmo salário

Entre 600 profissões de diversos níveis de formação, 90 pagam melhor para mulheres. Nesses casos, elas ganham pelo menos 5% a mais que os homens. Essas ocupações se concentram nas áreas de educação e saúde. Já os salários oferecidos aos homens são pelo menos 5% maiores em 357 ocupações. Outras 153 profissões têm diferenças salariais inferiores a 5%, o que, segundo o estudo, pode ser considerada igualdade salarial.
A avaliação foi feita pelo site Quero Bolsa, plataforma online em que estudantes podem obter descontos de instituições de ensino, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) 2018.  
“A finalidade do nosso estudo é trazer para o estudante uma informação mais precisa de quanto a carreira para a qual ele está se preparando paga no mercado”, diz o gerente de relações institucionais do Quero Bolsa, Rui Gonçalves.

Encceja será aplicado no dia 4 de agosto; inscrições abrem em maio

O Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) deste ano será aplicado no dia 4 de agosto. As inscrições poderão ser feitas entre 20 e 31 de maio, conforme anunciou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A previsão para a publicação do edital é abril.

O Encceja é direcionado aos jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos na idade apropriada para cada nível de ensino. A participação é voluntária e gratuita. Para obter a certificação do ensino fundamental, é preciso ter pelo menos 15 anos, e a certificação do ensino médio é para quem tem pelo menos 18 anos.

Para obter o certificado do ensino fundamental, os estudantes fazem provas de língua portuguesa, língua estrangeira moderna, artes, educação física e redação; matemática; história e geografia; e ciências naturais. No exame de nível médio, os candidatos respondem a questões de linguagens e redação; matemática; ciências humanas; e ciências da natureza.

São certificados os estudantes que obtiverem, no mínimo, 100 pontos em cada uma dessas áreas e pelo menos cinco pontos na redação. Aqueles que atingirem a nota mínima em uma ou mais provas, mas não em todas, receberão uma Declaração Parcial de Proficiência e poderão tentar obter a nota nas demais provas no próximo exame.

Até 2017, era possível receber a certificação do ensino médio também pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Agora, a certificação é feita somente por meio do Encceja. O exame é aplicado tanto no Brasil e no exterior, por meio de parceria com o Ministério das Relações Exteriores. A aplicação para pessoas privadas de liberdade ocorre tanto no Brasil, quanto em países como o Japão.

As datas divulgadas referem-se ao exame nacional regular. Segundo o Inep, o cronograma das aplicações no exterior e para pessoas privadas de liberdade será divulgado posteriormente.

Crédito:Agência Brasil

quinta-feira, 7 de março de 2019

Definida a programação alusiva aos 196 anos da Batalha do Jenipapo

O Governo do Estado do Piauí juntamente com a prefeitura de Campo Maior definiram a programação alusiva em comemoração aos 196 anos da Batalha do Jenipapo. A data é comemorada no dia 13 Março e um marco importante na história da independência do Brasil.
A primeira atividade será a missa em ação de graças, na Catedral de Santo Antônio, que terá início ao meio dia. Às 14h, do mesmo dia será celebrado um culto em ação de graças, na Primeira Igreja Batista de Campo Maior, na Rua Siqueira Campos, 489, Centro. As 16h,  no dia 13, no Monumento do Jenipapo  com solenidade Civico-Militar, com desfile militar; apresentação da peça teatral “A Batalha do Jenipapo”; Outorga da Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí; e entrega da medalha ‘ Heróis do Jenipapo ‘.

Boas práticas: "Meditação é aliada de escolas para melhorar a atenção e lidar com as emoções"


Crianças meditam para combater o stress

As aulas da professora de educação física Rosângela Martins dos Santos, na Escola Básica Municipal Henrique Veras, em Florianópolis (SC), começam com cinco a dez minutos de meditação. Os estudantes se sentam em posição confortável, com a coluna reta, unem o polegar e o indicador ou espalmam as mãos sobre o rosto com os olhos fechados e fazem respirações. Depois, falam em voz alta as frases: “eu estou em paz, minha família e meus amigos estão em paz, a nossa escola está em paz, o lugar onde eu moro está em paz, o nosso país e o nosso planeta estão em paz”.

O ritual se repete há mais de dez anos dos quase 30 anos de atuação de Rosângela no magistério. “Percebi que eles modificam o relacionamento consigo mesmos, com os colegas e comigo. Tenho mais colaboração deles e são mais afetuosos. Temos uma comunicação não violenta, amorosa, um convívio com mais carinho e compreensão”, explica Rosângela.

A professora apresenta a prática aos pais dos alunos todo início de ano. Eles questionam se a meditação tem algum viés religioso. Ela explica que não, que o foco é criar um ambiente de paz na escola. “Uma mãe me disse que o filho, antes de entregar um copo de água para ela, segurou com as duas mãos, falou as frases que aprendeu na meditação e disse que a água ia ficar com uma energia boa. Ela disse que se sentiu muito bem em ver o filho falar coisas boas”, conta a educadora.

Rosângela diz que a meditação é bem aceita pela direção da escola e pelos professores, que fazem a prática antes de iniciar reuniões pedagógicas. A educadora usa como base o programa da ONG Mente Viva, que oferece conteúdo educativo gratuito sobre práticas e exercícios meditativos.

Crédito: Porvir.org 

Deputada Lucy Soares diz que atuará independente da Alepi

Deputada Lucy Soares -Progressistas
Foto: cidadeverde.com

A deputada estadual, Lucy Soares (Progressistas), primeira-dama de Teresina, afir-mou para jornalistas que atuará de forma independente na Assembleia Legislativa.

Vou atuar de forma independente. Fui eleita para representar o povo piauiense e assim farei com muita garra, com muita luta e tendo serenidade na hora de me posicionar com coerência e a favor do nosso povo. Vou assumir a postura de independente", disse. 
Ela informou ainda que no Dia 8 de Março quer participar de várias atividades no Dia da Mulher. Disse que uma das suas bandeira e a luta em defesa dos direitos da mulher, além de trabalhar pela educação, saúde e acessibilidade para os idosos.

ProUni abre hoje(07/03) inscrições para lista de espera

O Programa Universidade para Todos (ProUni) abre nesta quinta-feira (7) as inscrições para a lista de espera. Aqueles que se inscreveram no programa, mas ainda não garantiram uma bolsa de estudos nas instituições particulares de ensino, devem manifestar seu interesse, na página do programa,até sexta-feira (8).

A lista de espera vale apenas para os cursos escolhidos na hora da inscrição. Cada participante pôde escolher até duas opções.

Podem participar da lista de espera apenas para a primeira opção de curso os estudantes que não foram selecionados na primeira, nem na segunda chamada regular do programa. Aqueles que foram selecionados na segunda opção de curso, mas cuja turma não foi formada, podem também se inscrever apenas para a primeira opção de curso.

Para a segunda opção de curso podem se inscrever na lista de espera apenas aqueles cuja turma da primeira opção não foi formada, independente de terem sido selecionados nas chamadas regulares.

A relação dos candidatos participantes da lista de espera estará disponível para consulta pelas instituições na próxima segunda-feira (11).

Todos os candidatos participantes da lista de espera terão que comparecer, nos dias 12 e 13 deste mês, às respectivas instituições de ensino nas quais estão pleiteando vaga, para apresentar a documentação para comprovação das informações prestadas na inscrição.
ProUni

De acordo com o Ministério da Educação, ao todo, 946.979 candidatos inscreveram-se na primeira edição do ProUni deste ano. Como cada candidato podia escolher até duas opções de curso, o número de inscrições chegou a 1.820.446.

Nesta edição estão sendo ofertadas 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Do total de bolsas, 116.813 são integrais e 127.075, parciais (50% do valor das mensalidades).

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica em instituições privadas de educação superior. Em contrapartida, as instituições que aderem ao programa têm isenção de tributos.

Os estudantes selecionados podem pleitear ainda a bolsa permanência, para ajudar a custear os estudos, e também usar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para garantir parte da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

Crédito:Agência Brasil