terça-feira, 10 de julho de 2018

Escola da Fé, estímulo aos cristãos católicos

A Paróquia de São José, de Altos-PI, realizou na último sábado, dia 7 de julho, no Salão Paroquial, a primeira aula da Escola da Fé “São José”, um curso de extensão com certificação pelo ICESPI – Instituto Católico de Estudos Superiores do Piauí, que tem como objetivo: Oferecer à comunidade eclesial um aprofundamento pessoal e comunitário da experiência de Jesus, aprofundar a espiritualidade missionária, transmitir a Doutrina de Fé da Igreja, oferecer respostas às questões de fé com um aprofundamento bíblico e formar agentes de pastoral mais capacitados na execução de suas tarefas eclesiais.
O curso teve início com a aula inaugural no dia 4 de julho de 2018, contando com a participação de Dom Francisco (Bispo de Campo Maior) e do Padre Jonilson (Diretor Espiritual do ICESPI. A Escola da Fé possui cerca de 40 alunos das paróquias de Altos, Alto Longá, Beneditinos e Capitão de Campos. As aulas serão ministradas em sábados alternados, das 18 às 22h, perfazendo um total de 5ha a cada encontro, com previsão de término para abril de 2021, tendo a carga horária de 330 horas/aula.
Segundo o pároco da Igreja de São José, Padre Claudinei Pereira, a Escola da Fé “São José” irá oferecer um fortalecimento cientifico (Teológico, bíblico e pastoral) e também irá ajudar na caminhada espiritual dos nossos agentes de pastoral: “Como pastores, sabemos a missão de formar nosso povo para que possamos ainda mais zelar um tesouro que a Igreja guarda em seu coração: o conhecimento. Muito já foi feito em nossa comunidade, vamos agora dar um passo significativo na formação do nosso povo.”

O curso será ministrado em três módulos:
Módulo I – Ciclo bíblico (Introdução à Teologia, Pentateuco, Livros Históricos, Livros Proféticos, Sapienciais, Sinóticos e Atos, Literatura Joanina, Cartas Paulinas) -  nove disciplinas; 135ha
Módulo II – Ciclo (Cristologia, Escatologia, Antropologia Teológica, Mariologia, Liturgia e Sacramentos) - seis disciplinas; 80ha
Módulo III – Ciclo pastoral (Direito Canônico, Pastoral, Catequese de Iniciação a Vida Cristã, Missiologia, Doutrina Social da Igreja, Moral Cristã e Comunicação – oito disciplinas; 115ha

Informações e fotos: PASCOM/Diocese de Campo Maior

segunda-feira, 2 de julho de 2018

IPTU PREMIADO

PARTICIPE

Câmara de Vereadores sediará Capacitação em turismo


Na próxima quarta-feira (04/07) a Câmara de Vereadores de Campo Maior sedia curso de capacitação para profissionais ou pessoas que desejem conhecer melhor a área de turismo. 



O evento é uma parceria da Câmara de Campo Maior e a Secretaria de Estado da Cultura, tendo como objetivo, através de palestras e oficinas, motivar a maior participação de empresários, professores, órgãos públicos e estudantes na discussão do potencial turístico de Campo Maior.

A ausência de políticas públicas intensivas para o desenvolvimento turístico, mesmo com a criação da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, ainda é muito acanhada, percebendo-se,aí, uma perda de recursos.

A entrada é gratuita e aberta aos que queiram participar.

domingo, 1 de julho de 2018

REGINA SOUSA PASSA PITO NO MINISTRO DO TURISMO

Senadora Regina Sousa
Foto: CDH/Ass. Comunicação

A senadora Regina Sousa (PT-PI) criticou as declarações do Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, que minimizou o assédio de brasileiros a jovens russas durante a Copa do Mundo da Rússia. Em pronunciamentos na Comissão de Direitos Humanos (CDH) e na tribuna do Senado, a parlamentar disse que o ministro perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado quando disse que não era necessária tamanha polêmica porque “não morreu ninguém” e porque o episódio envolvia apenas cinco brasileiros, que estavam "passando vergonha".
“Nós não estamos preocupados com as cinco pessoas não, ministro! Essas cinco pessoas não estão passando vergonha não. Porque eles não têm vergonha, eles são sem-vergonha”, insistiu a parlamentar.

Ela lembrou que o desrespeito atingiu 52% da população brasileira – parcela feminina da população - que se sente ofendida pelas grosserias. E enfatizou que violência não é apenas uma questão física. “A violência verbal às vezes dói mais na alma da gente do que a violência física”, ensinou.

“O senhor está na Rússia para promover o turismo brasileiro, e diz isso? Está convidando os russos e outros turistas estrangeiros a assediar mulheres? “, questionou, dirigindo-se diretamente a Lummertz. Para Regina, o ministro deveria pedir desculpas às mulheres brasileiras, pois foi extremamente machista. “Em qualquer outro governo, um ministro que dissesse isso amanheceria demitido. Mas ele está na Rússia divulgando o Brasil”, estranhou.

Regina Sousa explicou ao titular da Pasta do Turismo que feminicídio é um drama no Brasil. E que começa exatamente com assédio, xingamento e deboche. "E depois, evolui para empurrão, uma queda da escada, um escorregão no banheiro até que chega à morte", prosseguiu.

Defensora dos direitos das mulheres, a parlamentar piauiense disse que fica constrangida com o comportamento sexista do ministro. “Como a gente vai trabalhar, como a gente vai combater a violência, como a gente vai ter condição de continuar fazendo a defesa da mulher, o combate à violência, se os estímulos que a gente recebe da autoridade são esses?”, perguntou.

domingo, 27 de maio de 2018

Aluna é obrigada a pedir desculpas a prefeito após reclamar da merenda escolar


A cada dia surge a necessidade do enfrentamento às ideias que não se deve discutir política em sala de aula. Exemplos de enfurecimento contra estudantes que reclamam de certas condições das centenas de escolas públicas, escondidas nesses rincões piauienses, onda ainda prevalece a "lei da mordaça",  demonstram a responsabilidade do educador em estimular a cidadania política dos estudantes, independentemente da rede de ensino ou da série em que ele estuda.

Um estudante piauiense fez um vídeo para o projeto O Brasil Que Eu Quero, da Rede Globo, denunciando a qualidade da merenda escolar servida na escola municipal onde estuda em Uruçuí. Identificando-se apenas como Maria Clara e como moradora do bairro Fogoso, ela diz que o Brasil que quer é um em que “o lanche da escola deixe der pão seco com suco e passe a ser cachorro quente”.
Incontinente, dado a repercussão do vídeo, presume-se que os "politiqueiros de plantão", sem pelo menos buscar as informações verdadeiras na escola denunciada (muitas vezes o problema é na gestão da escola e não do município), foi obrigar a estudante a desmentir o que havia postado.
Maria Clara inicia o segundo vídeo dizendo: “Eu queria pedir desculpas à secretária Reisimar, da secretaria de Uruçuí, que eu sei que ela viu meu vídeo, anterior reclamando sobre a merenda da escola. Queria pedir desculpa para a coordenadora, para a secretária”. Em seguida, ela busca justificar sua denúncia: “Agi por impulso, por brincadeira e não sabia que podia ir tão além, igual foi a coisa, não sabia que podia ter essa confusão toda”, afirma.
Veja os vídeos e compreenda a jogada.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Para Regina, educação é a saída para enfrentar o feminicídio

Regina Sousa
Foto: Roque de Sá/ Agência Senado
A senadora Regina Sousa (PT-PI) manifestou preocupação com os casos de feminicídio no Brasil e, de maneira especial, no Piauí. Em pronunciamento ao plenário, nessa terça-feira (24), ela lembrou que, apenas na semana passada, dois casos mobilizaram e comoveram a opinião pública.
“Eu acho que a gente tem que se juntar. Eu tenho dito sempre que a questão da violência contra a mulher e a questão do empoderamento da mulher também, são bandeiras nossas e precisam ser discutidas com os homens. A gente faz seminários, faz seminários, mas só há mulheres. Não! Temos que levar os companheiros, os namorados, os irmãos, os pais para discutirem essa questão”, enfatizou a senadora.
Ela destacou o esforço do governo do estado, que desenvolveu e já conta com recursos que garantem a solução de todos os casos de feminicídio. O Piauí tem, hoje, delegacias com plantão de gênero, 24 horas à disposição. Também conta com o aplicativo Salve Maria. Apesar de todos esses esforços, em 2017, o Piauí registrou 23 casos de feminicídio.
Para ela, a educação e a discussão do tema em família – primeiro educando as crianças e, depois, conversando com os companheiros – são as melhores maneiras de enfrentar o problema.
“É preciso educar a criança para a não violência; incutir na cabeça dela uma cultura de paz; ensinar que o menino não é melhor que a menina, não pode mais que a menina, não pode bater na irmãzinha. Então, os pais não podem dizer para o menino: "Você é o homem da casa; tome conta da sua irmã!" Porque ele se achará empoderado; para bater inclusive, para castigar. Então, se não houver educação, se as escolas não discutirem”, afirmou.
A senadora lembrou que apresentou projeto que cria os centros de reeducação dos agressores. Ela defende que se não se educarem esses homens enquanto estiverem presos, vão sair da prisão e vão ser agressores de novo. A proposta já foi aprovada pelo Senado e está em tramitação na Câmara dos Deputados.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Câmara de Campo Maior aprova plano de cargos e salários de servidores do SAAE


O plenário da Câmara de Vereadores de Campo Maior aprovou, por unanimidade, nessa terça-feira (22/05), o projeto de lei que cria o novo plano de cargos e salários dos servidores do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Campo Maior (SAAE).
A matéria de autoria do executivo municipal precisou de três aprovações para ser encaminhado à sanção do prefeito municipal. O projeto chegou ao legislativo com o pedido de aprovação em regime especial de urgência. A presidência da casa colocou o pedido de urgência em votação e logo em seguida realizou a primeira votação.
Com as duas aprovações, a mesa diretora encerou a sessão ordinária e remeteu o projeto que cria o novo plano para a Comissão de Constituição e Justiça e a Comissão de Finanças e Orçamento. Após 30 min de debates, as duas comissões apresentaram relatórios favoráveis e o texto voltou a ser votado já na sessão extraordinária. Por unanimidade, os parlamentares aprovaram as alterações.
O diretor do SAAE de Campo Maior, João Lima, explica que o novo plano atende a uma reivindicação dos servidores. “Esse projeto faz justiça aos salários dos servidores e diminui disparidades que aconteciam na folha salarial. Essas melhorias não diminuem nossa capacidade de investimento e nem coloca em risco nossas funções”.
O vereador Fernando Miranda, presidente da Câmara, se referiu ao projeto como inédito na história do município. “Esse plano de cargos e salários é um projeto inédito e uma conquista, uma grande conquista dos servidores de Campo Maior. E essa Câmara mais uma vez demostra que estar do lado do bem”.
Pedido de aprovação
Pela manhã, o presidente do SAAE João Lima se reuniu com um grupo de vereadores para explicar o projeto e pedir apoio nas três votações exigidas pela matéria.
Assessoria Câmara de Campo Maior 

CRAS ZICO MARTINS EM AÇÃO

Confira a programação

m